Metodologia

image

Foto: Maria Montessori.

Maria Montessori nasceu em 31 de agosto de 1870 na pequena cidade de Chiaravalle, no leste da Itália. Filha única de Alessandro Montessori e Renilde Stoppani, Montessori era neta do famoso geólogo e naturalista Antônio Stoppani.

Ao completar 12 anos, sua família, de modesta condição econômica, mudou-se para Roma, visando a oferecer para a filha as oportunidades de uma educação mais completa, quando fosse o tempo de iniciar seus estudos.

Aluna de uma escola elementar pública, Montessori não foi o que podemos chamar de aluna brilhante, mas a vivência na capital, rica de ideias novas e particularmente fascinante – fomentada pela reunificação da Itália e pela afirmação e desenvolvimento de novas instituições democráticas – fez que Montessori adquirisse alguns aspectos que viriam a se juntar ao seu caráter forte, o qual a marcaria para sempre.

Seu grande senso de dever, sua natureza assertiva, suas fortes convicções e a forma vigorosa de expressá-las rendeu-lhe ao longo da vida, muitos seguidores… mas também muitos opositores.

Maria Montessori construiu suas história pessoal, intelectual e científica dedicando-se por mais de meio século ao estudo e à pesquisa do mais fundamental e difícil problema do homem: sua formação, pois considerava que só por meio dela seria possível agir diante de questões decisivas da vida – sua conservação e seu desenvolvimento.

Até sua morte em 6 de maio de 1952, então com 81 anos, viveu de maneira concreta e apaixonada a história de seu próprio tempo, imersa em sua luta e em sua conquista, concebendo e experimentando novas alternativas, contestando as tradições e os dogmas e lançando-se com coragem às novas necessidades e às novas perspectivas da Educação, da Criança e da Humanidade.

(FONTE: http://omb.org.br/educacao-montessori/maria-montessori)

 

A Metodologia
Montessori

Entenda o método de ensino da Escola
Montessoriana de Osasco

Ao considerar as crianças um grupo social de enormes dimensões e uma verdadeira potência no mundo, Montessori por onde passou, deixou sua certeza de que era na criança que residia a esperança da construção de um mundo melhor.

Ao Homem, dizia ela, cabe a imensa tarefa de continuar em conjunto o trabalho da Criação, descobrindo com sua inteligência, as inúmeras e infinitas possibilidades que a Natureza lhe oferece, e, desta forma, recriar e proteger seu meio cultural. Com este espírito, lançou-se ao estudo científico das crianças, de sua personalidade, de seu desenvolvimento psíquico.

Descobrir a importante função da criança na formação da personalidade humana, foi antes de tudo, o resultado de uma observação cuidadosa e sistemática do comportamento infantil, em um ambiente preparado para atendê-la – um experimento científico desempenhado por uma mente científica.

Dizia não ter feito outra coisa se não estudar as crianças, acolhendo e buscando significado àquilo que lhe davam: "Sou apenas a intérprete das crianças".

Contudo, foi uma conquista de Montessori ter criado condições que permitissem às crianças manifestar suas ações de acordo com suas necessidades internas; analisou cientificamente a personalidade da criança, sua capacidade de experimentar as possibilidades de seu desenvolvimento psíquico e intelectual, a sua natureza e o período da mente absorvente. Argumentava que o objetivo da Educação jamais poderia ser encontrado fora da criança, ao contrário, devia ser buscado dentro dela, na força que impulsiona e sustenta todo o seu trabalho de Auto-Formação e Construção.

À Educação então, caberia a tarefa de favorecer, no seu sentido mais completo, o desenvolvimento do potencial criativo, da iniciativa, da independência, da disciplina interna e da confiança em si mesmo.

É importante lembrar que o enfoque da Educação Montessori é sempre indireto e nunca direto, ao contrário da educação tradicional. O respeito da Drª. Montessori pela formação da criança, desde a sua concepção, levaram-na ao cuidado de não interferir diretamente no seu desenvolvimento.

(FONTE: http://omb.org.br/educacao-montessori/metodologia)

Pilares educacionais

Entenda os pilares do Método Montessori aplicado na Escola Montessoriana de Osasco

Autoeducação

A autoeducação é a capacidade natural que a criança tem de aprender. Por desejar absorver o mundo a sua volta e compreendê-lo, a criança o explora, investiga e pesquisa. Em Montessori, nós confiamos na criança. Sabemos que se ela puder contar com um ambiente adequado, cientificamente preparado, com materiais que estimulem seu desenvolvimento, se desenvolverá de forma independente e livre.

Educação Cósmica

Uma das mais belas formas de se manter o interesse da criança pelo mundo é perceber que todas as coisas estão profundamente conectadas e dependem umas das outras para existir. Estruturar a educação por meio de Grandes Histórias capazes de despertar o encantamento das crianças pelo universo, é papel do educador montessoriano; isto permite à criança desenvolver um senso de gratidão para com tudo o que há no mundo e perceber a ordem subjacente à natureza e ao universo.

Educação como Ciência

A ciência é explorada ao máximo através dos seus conteúdos e da forma como é ensinada, derivando duas características fundamentais do método Montessori: a observação cientifica e a forma de ensinar. A observação cientifica pressupõe como tarefa principal do professor entender como o desenvolvimento da criança se dá e como ele pode auxiliar nesse processo da forma mais natural possível. O professor tem também como tarefa apresentar o material, de uma forma rápida, simples e objetiva. Num primeiro momento apresenta o material à criança, num segundo momento ensina como utilizar e explorar o material e num terceiro momento afasta-se e observa.

Ambiente Preparado

Feche seus olhos, pense na natureza e encontre, no seu cenário imaginado, a água. É muito provável que ela esteja no chão, perto de tudo o que é importante para a vida – comida, abrigo, local de dormir. A civilização tirou tudo aquilo que é essencial à vida, do alcance físico da criança. Nosso esforço em Montessori é devolver a ela o que lhe pertence; ambientes de liberdade e independência, onde tudo seja organizado, oferecido e preparado para a ação infantil, que contenha objetos interessantes e importantes para sua caminhada de vida rumo à independência.

Adulto Preparado

O adulto preparado é um observador que confia na criança e busca nos atos dela as indicações de suas necessidades. Depois, pela configuração do ambiente e pelas interações, tenta oferecer os meios para que a criança as satisfaça. Esse adulto nunca ajuda mais do que o mínimo necessário, abstém-se sempre que a criança acredita que pode agir sozinha e garante, a todo momento, que sua presença possa ser sentida, caso seja necessária.

Criança Equilibrada

A criança nasce com o que Montessori chamou de guia interior. Existe, na criança, algo que indica qual o tipo de esforço necessário para seu desenvolvimento (correr, pular, etc). Se esse guia puder efetivamente direcionar a ação da criança e os adultos souberem oferecer os meios adequados para o desenvolvimento, a criança alcança seu equilíbrio interior e torna-se muito mais concentrada, e em seguida, a um só tempo, mais feliz, generosa, esforçada, independente e cheia de consideração pelo outro.

 

 

 


Fonte: OMB – Organização Montessori do Brasil.

"Para ser eficaz, uma atividade pedagógica deve consistir em ajudar a criança a avançar no caminho da independência".
Maria Montessori